Minha foto
Maceió, Alagoas, Brazil
Bancário Aposentado, Escritor, Poeta, Administrador de Empresas, MBA em Negócios em Financeiros, Pós-Graduado em Gestão de Instituições do Ensino Superior, Especializado em Diálogo, Capacitação Locução e Apresentação de Rádio e Televisão. Militante do PCdoB.

Java

Artesanal ganha exposições - Obra da Família Petuba, em mostra na Galeria Tina Zappoli

ANO 116 Nº 350 - PORTO ALEGRE, QUINTA-FEIRA, 15 DE SETEMBRO DE 2011
Obra da Família Petuba, em mostra na Galeria Tina Zappoli
Crédito: GALERIA TINA ZAPPOLI / DIVULGAÇÃO / CP

Abre hoje, 19h, na galeria Tina Zappoli (Paulino Teixeira, 35), a mostra "Tapeçaria de Recorte", da Família Petuba, com visitação até 15 de outubro (segunda a sexta, das 10h30min às 12h e das 14h às 19h. As peças, trabalhadas manualmente pelas irmãs Zenilda, Zenaide e Zeneide, filhas de Marinete Petuba, retratam o cotidiano, cultura e tradição do universo sertanejo, revelando de forma lúdica o modo de vida do povo local.

A família cria quadros e painéis bordados com telas, fragmentos de pano, retratando cenas infantis e a vida no interior. Os detalhes e o colorido valorizaram a textura de cada peça, revelando ainda mais o talento e a criatividade das artistas.

A exposição integra as comemorações aos 30 anos da galeria Tina Zappoli, que aposta tanto na arte contemporânea quanto na arte popular brasileira e na arte tribal, sempre com a preocupação de mostrar uma produção cujo valor, muitas vezes, é subdimensionado no Brasil. Em vários países, a arte popular e étnica tem espaço de muito prestígio, e a proposta da galeria é valorizar mais a arte genuinamente brasileira.

No Porão do Paço Municipal (Praça Montevidéu, 10), às 19h, inaugura também a exposição "É Primavera", de Simone Bernardi, que fica em cartaz até 14 de outubro. O trabalho da artista é desenvolvido por meio do processo de recolhimento de tecidos e diversos materiais velhos e novos, sobrepondo vários procedimentos como oxidação, pintura e bordados. Em todo o trabalho, ela reflete questões existenciais, como a da transitoriedade. Tecidos desgastados e surrados são justapostos ao brilho e à delicadeza de cetins, sedas e voais. O tecido é a pele, e as marcas representam passagens.

Já a exposição "Visão 6.5 (do pessoal ao coletivo)" abre ao público hoje, na Sala Aldo Locatelli (Praça Montevidéu, 10), das 9h às 12h e das 14h às 18h. A mostra reúne obras do colecionador Renato Rosa, que exibe parte de seu acervo pessoal, posteriormente a ser doado para a Pinacoteca Aldo Locatelli. Entre outros, trabalhos de Henrique Fuhro, Leo Dexheimer, Danúbio Gonçalves, Xico Stockinger, Hidalgo Adams, Glauco Rodrigues e Carlos Scliar, entre vários outros. Visitação pode ser realizada até o próximo dia 30.

FONTE: http://www.correiodopovo.com.br/Impresso/?Ano=116&Numero=350&Caderno=5&Noticia=338248

Nenhum comentário: