Minha foto
Maceió, Alagoas, Brazil
Bancário Aposentado, Escritor, Poeta, Administrador de Empresas, MBA em Negócios em Financeiros, Pós-Graduado em Gestão de Instituições do Ensino Superior, Especializado em Diálogo, Capacitação Locução e Apresentação de Rádio e Televisão. Militante do PCdoB.

Java

Projeto político organizativo do PCdoB é discutido em Alagoas

Comissão Política Estadual do PCdoB-AL faz reunião ampliada com o Secretário Nacional de OrganizaçãoAlagoas 

Na noite da última quarta-feira (20) reuniu-se no Hotel Ouro Branco, em Maceió, a Comissão Política Estadual do PCdoB-AL com o secretário Nacional de Organização, Walter Sorrentino, em que foi discutido o projeto político e de organização do partido no estado.
Foi com uma reunião ampliada que a Comissão Política Estadual do PCdoB em Alagoas recebeu o Secretário Nacional de Organização, Walter Sorrentino. Estiveram presentes, além da Comissão Política Estadual, o prefeito de Satuba, Titor, o vice-prefeito de Marechal Deodoro, Dr. Petrúcio, membros do Comitê Estadual do Partido, do Comitê Municipal de Marechal Deodoro e do Comitê Municipal de Maceió.

Abriu a reunião o Presidente Estadual do PCdoB-AL, Eduardo Bomfim, destacando a importância da mesma, para discussão sobre o projeto político eleitoral, organizativo, político mais geral e os desafios do Partido. Salientou que essas questões se colocam em uma dinâmica que corresponde a um período histórico, de resistência estratégica. Acrescentou que particularmente estes períodos dos governos Lula e Dilma têm suscitado demandas teóricas, ideológicas, afirmando que o Partido avança na política de sua construção, para fazer frente a esse quadro. Segundo Bomfim a organização está sintonizada com esses desafios, mantém a linha marxista leninista mas com feição brasileira. Destacou ainda que a realidade de Alagoas é complexa, assim como cada estado tem sua realidade, com desafios históricos a se enfrentar.

Walter Sorrentino ao falar afirmou que a reunião se circunscreve no processo de Conferências do Partido. Destacou a retomada da construção nacional por que passa o país, em um quadro de crise internacional, considerando a relação entre crise e oportunidades que se colocam para o Brasil.

Sorrentino lembrou que o PCdoB tem projeto próprio, o Novo Projeto Nacional de Desenvolvimento, rumo ao socialismo, que passa pelo êxito do governo Dilma, que apoiamos, pelo qual lutamos, com ideias e também críticas, em especial na política econômica, que mantém o tripé câmbio distorcido/juros elevados/economia fiscal. Destacou que o pagamento de juros subtrai investimentos em saúde, educação, e que se trata de uma equação política.

Walter Sorrentino colocou ênfase na vida do Partido, diferente dos demais, um Partido com autonomia, independência. Destacou a importância do crescimento eleitoral, afirmando que estamos passando por um bom momento em que devemos abrir as portas do Partido, trazer grandes nomes da sociedade.

Sorrentino afirmou que a primeira responsabilidade da Conferência é formular com clareza o projeto político. Acrescentou que o Partido em Alagoas merece a vitória e que deve procurar apresentar chapas próprias, lembrando que faltam apenas setenta dias para o prazo de filiação.

Walter disse que o Partido tem de ser uma força convicta, consciente. Destacou a importância de o PCdoB ser o Partido do Socialismo, relatando que mais de 50% da população brasileira tem em bom conceito o socialismo. Destacou a importância de aguçar o senso de representação e de alargar nossa base social, falar para a sociedade, dando o exemplo de Cláudia Petuba que falou para os jovens alagoanos nas últimas eleições.

Walter Sorrentino destacou a importância de direções capazes, realizadoras, da construção de um projeto eleitoral amplo, com direções partidárias com autoridade e força, o que implica em compromisso com o rigor no funcionamento coletivo do Partido. Encerrou dizendo que é preciso tornar indissociável política e organização, cada estado com sua realidade.

O membro da Comissão Executiva Estadual de Organização, Sinval Costa, apresentou o balanço do processo de reconstrução do Partido no estado, das Conferências Municipais realizadas e a realizar, e o projeto político do PCdoB nos municípios alagoanos, com a perspectiva de lançamento de chapas próprias de candidatos a vereador em alguns deles.

Marivone, Secretária Estadual de Organização, complementou o balanço apresentado por Sinval, prevendo que o PCdoB em Alagoas poderá ter um número próximo a trezentos candidatos a vereador nos cerca de trinta e quatro municípios em que as direções municipais estão sendo renovadas.

O vereador de Maceió Marcelo Malta fez uma comparação da atual situação do PCdoB em Alagoas, de crescimento qualitativo, com anteriores momentos vividos pelo Partido no Estado. Destacou ainda o papel que o Partido tem jogado nos governos de Lula e Dilma, lembrando que o PCdoB foi o primeiro a assumir o Ministério da Coordenação Política criado por Lula, com o Ministro Aldo Rebelo, com a participação também de Eduardo Bomfim como seu Secretário Executivo, num momento de crise política.
O vice-prefeito de Marechal Deodoro, Dr. Petrúcio, o Fifi, destacou a importância do Partido na luta contra as desigualdades sociais, informando que em Marechal Deodoro o PCdoB tentará repetir a eleição de dois vereadores, que tenham compromisso com o projeto do Partido e que já está sendo construída a chapa própria para a disputa à Câmara Municipal, com nomes qualificados.
Cláudia Petuba destacou a importância da análise e conhecimento da realidade do Estado e, em particular de Maceió, para a atuação do Partido junto à sociedade. Para isso, considera fundamental o aprofundamento das discussões a respeito da realidade política, econômica e social alagoana, salientando que o Partido no estado já vem fazendo isso mas muito há que se avançar para uma intervenção na realidade alagoana.

Eduardo Bomfim encerrou a reunião com ênfase na situação da atuação e do projeto do Partido na conjuntura local, nacional e internacional, concordando com Walter Sorrentino quanto à necessidade da preparação dos futuros dirigentes do Partido, vinculada a seu projeto político.

Fonte:
De Maceió, Selma Villela.
www.vermelho.org.br/al/noticia.php?id_noticia=159513&id_secao=46

8º FESTIVAL DE INVERNO DE ÁGUA BRANCA 2011


Pessoal, vem aí mais uma excelente oportunidade de passeio e diversão. grande festa do Sertão Alagoano, em mais uma edição, desta vêz, o 8º Festival de Inverno de Agua Branca
Aproveitem a bela vista do Mirante do Pico do Imalaia.
Não deixem de degustar, na nevoa, na brisa e no frio da noite um bom vinho, chocolate quente, entre outras opções, saborear as delícias do Engenho São Lourenço, do Recanto da Serra, do Aconchego ou aquela durmidinha no Hotel Monteiro, o da Dona Rosinha e Marinez. Com certeza tem muito mais, novidades devem acontecer, afinal, tenham uma boa estada.

8º FESTIVAL DE INVERNO DE ÁGUA BRANCA 2011

Quinta, 28 de julho às 19:00 - 31 de julho às 05:00
ATRAÇÕES PRINCIPAIS:

Quinta-Feira, 28 de Julho

- BANDA FÉ BRASIL

Sexta-feira, 29 de Julho

- AVIÕES DO FORRÓ

- RAPHAEL & GABRIEL

- MEGA GROOV

Sábado, 30 de Julho

- CHEIRO DE AMOR
- CALANGO ACESO
- RAMOS

Domingo, 31 de Julho

- SILVANO SALLES
- BANDA VIBE (Tarde)
- INTERNALTAS DO FORRÓ
- LICINHO & BRUNO

Todos os dias Apresentações Culturais, Trilha de Moto e DJ GUGA.

PREFEITURA MUNICIPAL DE ÁGUA BRANCA

Prefeito Zé de Dorinha - Vice Prof. Carlos

Fonte da Programação: William Sandes

52º Congresso da UNE

Reproduzimos reportagem de O Globo "Lula sai em defesa de patrocínio público para o congresso da UNE e critica imprensa"
GOIÂNIA - Ao participar nesta quinta-feira do 52.º Congresso da União Nacional dos Estudantes (UNE), em Goiânia, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva rebateu a crítica de que a entidade mantém uma postura 'chapa-branca', isto é, favorável ao governo federal. Lula não só saiu em defesa da UNE, como também partiu para o ataque contra a imprensa. Ao iniciar seu discurso, Lula disse que estava com "saudades do microfone" e repetiu por diversas vezes o bordão "nunca antes na história deste país", que marcou sua gestão. O ex-presidente registrou a ausência de duas pessoas: de seu vice José Alencar, morto em março, e da presidente Dilma Rousseff.
Citando matéria publicada na última quarta-feira sobre o fato de o congresso da UNE ser patrocinado por estatais, Lula criticou a cobertura do evento pela imprensa nacional. Ele também criticou a interpretação dos jornais que fazem comparações entre o seu estilo de governar e o da presidente Dilma Rousseff.
Ele reclamou das matérias sobre sua ida a Brasília para reunir-se com políticos e ajudar o governo Dilma, criticando o tom que, segundo ele, buscaria passar a imagem de que a presidente é fraca.
- Só diz que ela é fraca quem não conhece a personalidade dela. Se o babaca que escreveu isso já tivesse sentado com a Dilma dez minutos ele ia saber que ela pode ter todos os defeitos do mundo, menos ser fraca. Ninguém passa três anos e meio na cadeia, barbaramente torturada, e é eleita presidente da República. Essa é a maior vingança com quem a torturou.
O ex-presidente também declarou:
- Eu estou ficando invocado, porque já faz seis meses que eu deixei a Presidência, mas eles não saem do meu pé.
Antes, ao se dirigir ao presidente da UNE, Augusto Chagas, Lula afirmou, de novo sem citar nomes, que não seria uma publicação de cobertura nacional.
- E você, Chagas, não tenha preocupação com quem diz que vocês são chapa branca - afirmou. - Você pensa que (o jornal) tem caráter nacional. Não sai do Rio de Janeiro. Vai na Baixada Fluminense e vê quantos jornais chegam lá.
Lula fez o mesmo raciocínio em relação à imprensa paulista, dizendo que em São Paulo também haveria jornais que "se acham nacionais":
- Os grandes de São Paulo quase não chegam ao ABC, que está a 23 quilômetros da capital.
O ex-presidente argumentou que é comum as empresas estatais, assim como o próprio governo, investirem em publicidade:
- Você liga a televisão e vê propaganda de quem? Quem é a propaganda do futebol brasileiro? Quem é a propaganda das novelas? Para eles, é democrático. Para vocês, é chapa-branca.
O ex-presidente respondeu também a quem o critica por falar demais no tempo em que era presidente:
- Ao eu falar, eu competia com o que eles falavam. E o povo acreditou mais em mim. E eles tiveram que saber que eu saí com 87% (de aprovação) - discursou Lula. - O dado concreto é que eles não perceberam que as coisas estão mudando no Brasil. O povo não quer mais intermediário entre eles e a informação. O povo está se informando de muitas formas. Muitas formas. E não apenas naqueles que habitualmente achavam que formavam.
O ex-presidente rebateu também as críticas de que teria deixado uma herança maldita a Dilma. Após enumerar diversas realizações de seu período, entre elas a criação do ProUni, Lula arrematou:
- Quem sabe a herança maldita que a Dilma e eu deixamos, porque a Dilma também deixou, porque ela ajudou a fazer, sejam cerca de 15 milhões de empregos e carteiras assinadas.
Lula voltou a dizer que Dilma enfrentou preconceito por ser mulher, durante a campanha eleitoral, e citou o incidente em que o então candidato do PSDB, José Serra, foi atingido na cabeça por um objeto. Segundo Lula, foi um "meteorito de papel" que, após análise de outras imagens, teria passado a ser chamado de "objeto não-identificável".
- Se eu fosse a imprensa, eu ia atrás da tomografia que tiraram da cabeça dele - afirmou Lula, referindo-se a Serra.
Sobre a eleição de Dilma, Lula afirmou que ela foi "uma das maiores conquistas do nosso governo".
Embora tenha rejeitado a pecha de chapa-branca para a UNE, Lula agradeceu à entidade e cobrou mais empenho em suas reivindicações
- Sou grato à UNE pela lealdade na adversidade. Este governo nunca pediu para a UNE abdicar uma única bandeira.
Lula esteve no congresso da UNE para participar de encontro de bolsistas do ProUni.
Assim como já havia feito Lula, o ministro da Educação, Fernando Haddad, também rebateu a crítica de que a UNE seria uma entidade 'chapa-branca' em relação ao governo federal. Ele começou o discurso no congresso da entidade realizado em Goiânia dizendo que gostaria de fazer uma desagravo à UNE .
- Algumas pessoas imaginam que é possível comprar a consciência do movimento estudantil com alguns trocados. Um dinheirinho para organizar um congresso bastaria para pacificar todas as contradições existentes na sociedade brasileira que provenham da educação - disse Haddad, completando:
- Estudante não se vende por dinheiro nenhum, muito menos por migalha.
Ex-presidente sugere que Dilma terá outro mandato
Entre elogios à presidente Dilma Rousseff, Lula sugeriu a possibilidade de reeleição de sua sucessora. Ele numerou obras que Dilma deve entregar até o fim de seu "primeiro mandato". Entre as obras citadas pelo ex-presidente, estão 6 mil creches e 200 escolas técnicas.
Lula destacou as ações de sua sucessora e disse que a eleição de uma mulher à Presidência foi uma das "maiores conquistas" da história brasileira. "Dilma vai fazer mais e melhor do que fizemos", declarou o ex-presidente.
Em tom de brincadeira, Lula disse que ele é a "evolução de seu próprio governo", pouco depois de ter usado a palavra "factível" em seu discurso.
- Antes eu falava menas laranja, agora falo 'en passant', factível - disse. O ex-presidente foi bem recebido pela plateia da UNE e terminou sua fala com o coro de "olê, olê, olá, Lula, Lula.

Fonte: http://oglobo.globo.com/pais/mat/2011/07/14/