Minha foto
Maceió, Alagoas, Brazil
Bancário, Escritor, Poeta, Administrador com MBA em Negócios em Financeiros, Pós-Graduado em Gestão de Instituições do Ensino Superior, Especializado em Diálogo, Capacitação SindRádio em Rádio-TV.e Militante do PCdoB.

Lembremos de Lêni - Portal Vermelho

Reproduzimos artigo de Leandro Alves publicado no Portal Vermelho
 

Vladimir Ilyich Ulyanov (Lênin) nasceu no dia 22 de Abril de 1870. Data de importância indiscutível para todos os que se dedicam à construção do Socialismo. Falar de Lênin não representa falar apenas de um líder restrito ao passado russo, representa falar do futuro da luta pelo socialismo. O principal dirigente da Revolução Russa deixou forte marca em seu povo, pois ainda hoje é saudado como um dos principais líderes daquele país. Lênin também deixou um legado para o mundo todo e esse legado deve ser resgatado cotidianamente por todos que lutam pela edificação do Socialismo.

Espírito antidogmático
Lênin soube aplicar os princípios da teoria marxista à realidade Russa. Sua contribuição para a edificação de uma teoria acerca do partido de novo tipo é, até hoje, uma referencia para quem deseja ajudar na construção do instrumento de transformação política e social. Sua concepção de partido de quadros se baseava numa realidade restrita, sem espaço para a atuação política. Entretanto, sempre dissera que suas ideias acerca da forma organizativa dos comunistas era para a Rússia, não tinha caráter universal, tanto que quando a realidade assim exigiu, foi um dos primeiros a defender a mudança na forma organizativa partidária.
O líder Comunista buscou conhecer as características do capitalismo na Rússia para construir os caminhos para as transformações de acordo com a realidade daquele país. Lênin nutria um espírito crítico e antidogmático, entendia o marxismo como uma teoria viva, defendia que os comunistas deveriam aplicar os princípios do marxismo à realidade de cada país, sem dogmatismos, nem tampouco cópia de modelos.

O combatente
Lênin foi implacável no combate ao oportunismo no seio do partido, fosse de esquerda ou de direita. Soube entender as mais diversas formas de contradições existentes numa sociedade capitalista. Diferenciando o espontaneismo no trabalho partidário da espontaneidade das classes exploradas. Destacou a importância do elemento espontâneo como embrião do elemento consciente, mostrando o potencial da união dialética entre a luta específica e a geral para a elevação da consciência da classe operária. Entretanto, soube também, combater o trabalho espontâneo no partido, defendendo que o partido deveria ser o espírito que “pairasse acima” do movimento espontâneo, não sendo um mero caudatário dos acontecimentos cotidianos.
Travou intenso debate com os setores esquerdistas do partido. Defendeu que os comunistas atuassem em todos os espaços de luta, nos parlamentos, nos sindicatos, associações, mesmo aqueles que não tivesses uma posição avançada, pois o papel dos comunistas era precisamente elevar o nível de consciência dos trabalhadores. Dessa forma, os comunistas não deveriam se abster de atuarem nos espaços mais atrasados, ao contrário, para ele os comunistas deveriam atuar de forma revolucionária fazendo a diferença na atuação política nesses espaços
.
Atualidade do pensamento de Lênin
Desde a queda do bloco socialista, a luta política ficou mais complexa para os que defendem o Socialismo. Não cabendo simplificações políticas nem teóricas, ainda mais num país como o Brasil, onde nosso processo de transformação social é lento e contraditório. A necessidade de um Partido Comunista em consonância com o nosso tempo é de vital importância para o rumo da nossa Nação. Nesse sentido cuidar do partido é um exemplo a ser seguido por todos na atualidade, para tanto devemos ficar atentos aos rumos do partido, pois um Partido Comunista autônomo política e ideologicamente é conditio sine qua non para o futuro da luta Socialista. O “canto da sereia” capitalista é forte e pode desnortear toda organização política que atua de forma efetiva na realidade, por isso precisamos de firmeza ideológica para não perder o rumo, nesse sentido Lênin nos deu um grande exemplo.
Por tudo isso, e muito mais, falar de Lênin é falar de espírito crítico e antidogmático, é falar de dedicação e respeito ao coletivo partidário, é falar de desenvolvimento do marxismo, é falar de combate ao oportunismo e aos adeptos de “cainhos fáceis” para a luta Socialista. Dessa forma todos nós, homens e mulheres comprometidos com um futuro Socialista, devemos lembrar de Lênin como um referencial a ser seguido. 

Fonte: http://www.vermelho.org.br/coluna.php?id_coluna_texto=3974&id_coluna=84

Autor:
* Leandro Alves é Servidor do Poder Judiciário Gaúcho, ex-assessor Sindical, ex-assessor Parlamentar.
  E-mail: leandroalvesrs@hotmail.com

Comentários

O que é mais importante... 04/05/2011 16h26
Falar bem de Lenin,é chover no molhado,agora praticar suas lições,isso é outra história.Lenin nunca foi só um teorico,punha em prática suas teorias, com todos os riscos inerentes,e teve exito em quase todas aplicações práticas. Eloy Antonio da Mota Guarujá - SP

viva! 01/05/2011 1h12
Muito bom. Grande leitura, Lênin! Qto às publicações do PCdoB, me pograma pra ler 2 livros da editora AnitaGaribaldi: um com série de debates sobre o capitalismo contempoâneo e a luta pelo socialismo e outro sobre globalização e capitalismo idem. Penso que servem ao que o comentarista abaixo uer. Mas há um monte de livros. Manoel Natal - RN

LÊNIN II 28/04/2011 11h53
Por último, mas não menos importante, Lênin, em que pesasse as condições da autocracia russa, recomendava a participação no Parlamento (havia até a fração bolchevique na Duma)embora alertasse de que "a via parlamentar também não devia ser evitada, embora não fosse a mais importante, a qual seria "a organização do Partido, primordialmente as células", e várias outras vezes discorresse sarcasticamente sobre o carreirismo, o oportunismo e, por quê não, o cretinismo parlamentar. Quanto a qualquer ilusão baseada apenas na luta parlamentar eleitoral, basta dar uma olhada em O Estado e a revolução. iveo soares jr. rio d janeiro - RJ

Lênin 28/04/2011 11h45
Agora me pergunto: a cada nova crise do capitalismo, Lênin pesquisava, buscava dados, fazia ilações, deduzia e publicava; aí estão: O desenvolvimento do capitalismo na Rússia, O imperialismo, fase superior...e tantas obras primas. Achei que no artigo faltou acrescentar a importante descoberta dele no tocante ao elo mais frágil da cadeia (a revolução não ocorrerá na Inglaterra evoluida, etc, etc, mas, se numa corrente é o elo mais fraco o que primeiro se rompe, então será na Rússia, etc, etc. Em cima disso, minha sugestão é: só em relação à crise de 2008/2009 Wall Street patrocinou (e premiou vários, inclusive) a publicação de, no mínimo, 12 livros! E o Partido, que seria leninista, com tantos economistas, jornalistas, analistas, que obra apresentou não digo desde esses anos, mas há mais de 10 anos? Fidel, nesse caso, me parece muito mais ativo. Fica a sugestão e um abraço iveo iveo soares jr. rio de janeiro - RJ

Parabéns 28/04/2011 9h02
Parabéns, É isso ai ! Para frente, estimulando o desenvolvimento e as potencialidades humanas e políticas, sem perder o foco. Com uma visão sistêmica do passado, proporcionando uma leitura atualizada e adaptada para nossa gerção e realidade! Rodrigo Burgos Porto Alegre - RS

Nenhum comentário: